SHADOWSIDE – Shades of humanity

Depois de Inner monster out (2011), que se tornou em pouco tempo um disco praticamente clássico do Metal nacional, muito poderia ser indagado sobre o próximo passo dos paulistas do SHADOWSIDE. Numa simples, porém, clara e eficiente forma de expressão: não decepcionaram. Shades of humanity é um disco que equilibra de forma perspicaz e inteligente a melodia e o peso calcado numa afinação mais baixa, amparadas por refrãos marcantes e uma maior exploração e alcance do timbre vocal de Dani Nolden. Ela consegue ir de vocalizações mais graves e baixas até mais altas, mas sempre mantendo a linha melódica. Além disso, a produção e qualidade da gravação realçam a qualidade das faixas. As mãos de Fredrik Nordstrom (ARCH ENEMY, HAMMERFALL, EVERGREY, IN FLAMES, entre outros) e Henrik Udd (ARCHITECTS, DIMMU BORGIR, entre outros) certamente foram também cruciais em proporcionar músicas cheias de energia e passagens marcantes. Ao mesmo tempo em que o álbum apresenta a referida pega energética, ele é denso em contextos complexos e extremamente atuais que vão desde aborto, depressão à desastres ambientais (como foco o terrível desastre ambiental de barragem da empresa Samarco no município mineiro de Mariana em 2015). O desempenho dos demais músicos também é digno de destaque, visto que todos executaram muito bem suas funções e agora Dani, Raphael Mattos (guitarra) e Fabio Buitvidas (bateria) estão acompanhados do baixista Magnus Rosén (ex-HAMMERFALL), que somou bastante na ótima dinâmica das músicas, diga-se de passagem. Com relação ao set list, todo ele é prazeroso de ser ouvido, mas os destaques começam logo na abertura com a excelente e marcante The fall, que dá a tônica do que virá no restante do álbum. Beast inside e Insidious me mantêm a pegada firme mais uma vez destacando a ótima variação vocal de Dani. Mas os pontos altos ficam a cargo da trinca viciante constituída por The crossing (com excelentes riffs e solos), Unreality (e da-lhe peso) e Alive (bela, forte e melancólica). Muito provavelmente o tempo será um bom juiz na forma que este álbum merece em termos de reconhecimento no cenário nacional. Nota: 9.0/10.

 Por Écio Souza Diniz

Faixas: 1. The Fall / 2. Beast Inside / 3. What If / 4. Make My Fate / 5. Insidious Me / 6. The Crossing / 7. Stream of Shame / 8. Parade the Sacrifice / 9. Drifter /10-Unreality / 11. Alive

KING DIAMOND no Liberation Festival em São Paulo: uma noite épica!

Por Écio Souza Diniz

Uma noite histórica e única para muitos fãs de Metal. Isto foi o que representou e o que muitos dos presentes no Espaço das Américas na capital de São Paulo esperaram e receberam no dia 25 de Junho de 2017. Tratava-se da recente turnê do lendário vocalista dinamarquês KING DIAMOND, tocando o clássico álbum Abigail (1987) na íntegra. O show organizado como parte do Liberation Festival 2017 também contou com os shows do CARCASS (Inglaterra), TEST (São Paulo), HEAVEN SHALL BURN (Alemanha), LAMB OF GOD (Estados Unidos). O PÓLVORA ZINE teve a oportunidade de acompanhar esta noite lendária e relata aqui ao leitor, dando maior enfoque na cobertura dos shows do CARCASS e do KING DIAMOND.

CARCASS

A primeira banda a entrar em cena foi a TEST, mandando seu Grindcore/Death metal seco, cru e agressivo executado apenas pela guitarra e vocal de João Kombi e da bateria de Barata. Os paulistanos mostraram sua garra através de músicas bem rápidas e certeiras. Na sequência vieram os alemães do HEAVEN SHALL BURN que já contam com um bom público brasileiro. Principalmente o público mais jovem agitou bastante durante o show, destacando a audiência para músicas como Endzeit, The Weapon They Fear e Counterweight.

Mas se tratando de pedrada sonora, os veteranos do icônico CARCASS entraram com tudo. A performance impecável de Jeff Walker (baixo e vocal), Bill Steer (guitarra), Ben Ash (guitarra) e Daniel Wilding (bateria) proporcionou o melhor show da banda desde sua primeira passagem pelo Brasil em 2008. O potente e inconfundível vocal de Walker juntamente com sua presença e carisma continuam sendo um dos destaques nas músicas e shows da banda. O set list foi executado com afinco abrangendo desde petardos mais recentes até os clássicos. Após a breve introdução de 1985, a abertura veio arrebentando tudo com 316 L Grade Surgical Steel do mais recente álbum, Surgical steel (2013). Deste álbum ainda mandaram ver com os arrasa quarteirões Cadaver pouch conveyor system e Captive bolt pistol. Mesmo com o Espaço das Américas lotado, ainda rolaram alguns mosh pits, especialmente durante a execução de clássicos do álbum Heartwork (1993) como sua faixa título, Buried dreams, Carnal forge, No love lost e This mortal coil. Mas não parou por aí, pois ainda rolaram as viscerais Incarnated solvent abuse e Corporal jigsore quandary do álbum Necroticism – descanting the insalubrious (1991), fase clássica que contava com Michael Amott (ARCH ENEMY). Para aqueles, como este que vos escreve, que são fãs da fase Gore/Grind da banda, como brinde ainda foram tocadas Reek of putrefaction e Exhume to consume de Symphonies of sickness (1989). Vale por fim, ressaltar também o belo fundo de palco baseado na capa Surgical steel. LEIA MAIS

WACKAH XVII²: Chegando em Viçosa pra ficar!

Acontecerá sábado (12 de agosto) a partir das 18:00 no Flor e Cultura o festival Wackah VII². Pela terceira vez em Viçosa, eis que se aproxima o momento dos headbangers e entusiastas de música pesada poderem conferir mais uma edição do lendário festival – costumeiramente realizado no município de Ervália – em seu território. Essa edição o fest contará com as bandas INSANNICA (Thrash/Death Metal – Juiz de Fora); VIGAROS (Stoner Rock – Belo Horizonte); ZARGOF (Avant Garde – Belo Horzinte); SOU CACHORRO NÃO (Nirvana Cover – Ubá) e SUICÍDIO SOCIAL (Grunge – Ervália).

Evento: Wackah VII²

Local: Flor e Cultura, 2050, Av. Maria de Paula Santana – João Braz, Viçosa/MG.

Horário: a partir das 18h

Ingressos: 20 reais e promocional para vans a 15 reais (compra apenas no local do evento). Mais informações pelo telefone/whatsap do organizador, André Dias, (31) 984403535 ou na página do evento no facebook

https://www.facebook.com/events/826936797459460/

LEATHERJACKS: pé fincado no Hard/Heavy anos 80.

Formada na metade de 2016, o LEATHERJACKS, idealizada pelo multi instrumentista e produtor Mauro Cordeiro, na cidade de São Paulo, lançou em abril deste ano o seu primeiro álbum, ‘The Lost Arks of Rock and Roll’. A identidade sonora é baseada no Rock Clássico, mesclando fortes doses de Hard/Heavy com pitadas de AOR.

Seguindo o formato ‘one-man-band’, o álbum foi composto, arranjado, produzido, gravado, mixado e masterizado por Mauro. A masterização também contou com a ajuda do serviço online eMastered. O primeiro single lançado foi para “Burning wire”, que recebeu também um video clipe.

Por hora Mauro ainda está a procura de formas mais viáveis de lançar fisicamente o álbum, que está disponível em plataformas digitais. Atualmente, Mauro (guitarra e vocal) está acompanhado por Caio Santisteban (guitarra), Ricardo Hohl (baixo) e Dan Werneck (bateria), levando o som do LEATHERJACKS para os palcos.

Mais informações e contato: https://www.facebook.com/leatherjacksofficial/

maucormusic@gmail.com

Ouça o álbum no Spotify:

 

MAESTRICK: banjo, dobro e ukulele em novo álbum.

“Espresso Della Vita: Solare”, novo disco de estúdio do grupo de rock/metal progressivo MAESTRICK, está em fase final de mixagem e sendo produzido por Adair Daufembach (Project46, John Wayne, Hangar), que também é o encarregado de gravar todas as guitarras do álbum. O novo trabalho será sucessor do aclamado álbum de estreia, “Unpuzzle!”, e do EP “The Trick Side Of Some Songs” que o grupo lançou recentemente reunindo versões para clássicos dos Beatles, Yes, Jethro Tull, Pink Floyd, Queen e Rainbow. Previsto para o segundo semestre, “Espresso Della Vita: Solare” é a primeira parte de um disco duplo conceitual e traz uma observação da vida humana na perspectiva de uma viagem de trem.

Considerando as informações já divulgadas, fica cada vez mais evidente que “Espresso Della Vita: Solare” será uma obra que foge do convencional, por isso mesmo acaba sendo naturalmente ousada e complexa. Só para relembrar, na música “Hijos de La Tierra” há participações de sete músicos de quatro países diferentes das Américas do Norte e Sul – entre elas a da vocalista Cinthia Santibañes do Crisalida. Para as gravações de corais e orquestrações que aparecem no decorrer de todo o álbum, são mais de 20 músicos envolvidos! Para cada instrumento o grupo fez questão de contar com um especialista, caso do percussionista Fernando Freitas, professor do Projeto Guri, que aparece como convidado especial no álbum.

E o grupo não fugiu à regra quando decidiu explorar os timbres de instrumentos pouco usuais no metal ou mesmo no rock progressivo, como é o caso do banjo, dobro e ukulele. Para isso convidou dois músicos da banda de rockgrass MrMaze, Rodrigo Pimentel (Banjo e Dobro) e Leonardo Almeida (Ukulele). Um novo vídeo traz depoimentos do baixista Renato Montanha e também de Rodrigo Pimentel e Leonardo Almeida que contam um pouco sobre os bastidores das gravações.

Para assistir, acesse: https://youtu.be/Yw51-GiRIqw

“Espresso Della Vita: Solare” será lançado em 2017 em data a ser divulgada. Novas informações sobre outras participações especiais, capa e tracklist serão divulgadas em breve.

Mais Informações:

www.maestrick.com.br / www.facebook.com/maestrick / www.youtube.com/maestrickofficial

MORCROF: ao vivo “Live At The Brazilian Swamp” disponível.

A banda de Dark Metal MORCROF, acaba de lançar o álbum intitulado “Live At The Brazilian Swamp”, segundo trabalho ao vivo da carreira da banda paulistana. O material foi gravado numa noite épica e histórica: a abertura do “At The Brazilian Swamp Fest” na passagem da lendária banda grega Varathron pelo Brasil em 2015. O lançamento é composto por quatro faixas, registrados pela Rog666 Videos, masterizado no KW Home Studio, licenciado pela produtora Storm Productions (organizadora do show) e lançado pelo selo Erinnys Productions. O desenho da capa foi desenvolvida pelo tatuador e desenhista Allan Luis.

A Morcrof sempre teve notória empatia associada ao Metal Helênico. Talvez por ter sido uma das primeiras, se não a primeira banda no Brasil (ouso dizer), a tocar cover de uma banda do Black Metal grego. A origem deste estigma dimana da ‘The Forest Of N´Gai’ da Rotting Christ, executada ao vivo em 1995 no ‘Evil Prayer To the Knowledge Fest’, faixa que também pode ser conferida na DT 1996 ‘Scientia Ab Mortuus’ e, ‘Descent Of A Prophetic Vision’ da Varathron que se fez presente na DT 2001 ‘Alesh’ e em diversos videos de shows realizados. Além disso, participamos do Tributo ‘An Evil Existence For Rotting Christ’ e tivemos o privilégio de abrir seu show na segunda passagem pelo Brasil em 2006, o que nos rendeu o DVD ‘Animo Signus Aeterno’. Talvez por este histórico com os helenos, a Storm Productions nos honrou com o convite a compor o cast de abertura do ‘At The Brazilian Swamp Fest’ em 2015, que marcou a primeira apresentação da Varathron no Brasil. Passado algum tempo, conseguimos o vídeo completo do festival gentilmente gravado e cedido pela Rog666 Videos e dele extraímos e masterizamos os áudios, possibilitando materializar este live álbum e eternizar nosso júbilo e honra daquela noite memorável e histórica junto de nossos irmãos ali presentes”, comenta Paullus Moura, baixista da banda.
O disco está disponível para aquisição por meio do facebook da banda e, da Erinnys Productions. para as distribuidoras interessadas em trocas (www.facebook.com/erinnysprod/)
Tracklist:

  1. In Monolitus Ex Auorum Spiritus Mundus
  2. Ad Infinitum (Awakening the Archetype of Being)
  3. Portae Ex Solis Sursum Aquilonem
  4. Proliferous Equilibrium of Fohat

Contato: morcrof@hotmail.com

 Links relacionados: https://www.facebook.com/morcrofdarkmetal/

Assessoria de Imprensa: www.facebook.com/cangacorockcomunicacoes/

EMPIRE OF SOULS: liberada parte da discografia para audição gratuita!

Com 22 anos de estrada, a lendária banda santista de Black Metal, EMPIRE OF SOULS, disponibilizou parte de sua discografia gratuitamente para audição nas principais plataformas de streaming. Durante essas duas e longas décadas a horda lançou algumas demos, “Mr. Fear” (1996), “Mystic Lands” (1998) e “Triumph Of Death” (2000), e finalmente no ano de 2003 lançaram o full-length “Revenge Circle”. A partir desse momento a banda teve o reconhecimento merecido sendo colocada como uma das melhores hordas no cenário do Black metal nacional. No ano de 2006 chegou a gravar e lançar a faixa “You Evoked Us” na coletânea Endless Massacre lançada pela Violent Records. Em 2009 devido a problemas pessoais a Empire of Souls acabou dando uma parada, retornado aos palcos somente no ano de 2014 no tradicional evento Trinca dus Infernos. Já no ano de 2015, a banda lança o material mais recente, o Single intitulado “Si Vis Pacem, Para Bellum”. Os títulos que podem ser ouvidos via streaming são o full “Revenge Circle” (2003) e o single ”Si Vis Pacem, Para Bellum” (2015).

No momento a EMPIRE OF SOULS se prepara para retornar aos estúdios para dar prosseguimento às gravações de seu novo álbum, intitulado “Clame Por Seu Deu$”.

Para ouvir, basta visitar os links abaixo:

Bandcamp: https://empireofsouls666.bandcamp.com/

SoundCloud: https://soundcloud.com/empireofsouls666/

YouTube: https://www.youtube.com/playlist?list=PLuerNcLeyhw6Dzpdd6HPeMnZ1z5Fq1HCi

WILD WITCH: capa e detalhes de “The Offering” revelados.

O primeiro full-length do grupo curitibano de heavy metal tradicional WILD WITCH está previsto para lançamento entre agosto e setembro pela Arthorium Records. O CD intitulado “The Offering” apresentará uma arte de capa com fotografia estilo old-school, lembrando livros e filmes dos anos 70 e 80, bem como um rico encarte de 16 páginas. O álbum contará com 8 faixas somando 40 minutos de duração.

A fotografia da capa é assinada por Mateus Cantaleäno (Murdeath). O áudio, co-produzido pela banda, foi gravado e mixado por Maiko Tomé no Avant Garde Studio e masterizado por Maiko Tomé e Arthur Migotto.

Tracklist:

  1. Heavy Metal Inferno
  2. Night Rulers
  3. To the Lions!
  4. From Purgatory
  5. Diabolic Jaws
  6. Blades of Pain
  7. Exiles in Hell
  8. Lightning on the Road

O WILD WITCH chamou atenção do público do estilo em 2012 com o lançamento independente do EP “Burning Chains”, relançado em fita cassete em 2013 pela Infernö Records (França), e tendo posteriormente recebido convites para a abertura de nomes como LEATHER LEONE (USA) e CAULDRON (CAN). Agora, reduzido a um trio (com o posto de vocalista assumido pelo baixista Felipe “Rippervert”), o WILD WITCH encontra-se empolgado com as possibilidades para o debut, que conta com gravação de qualidade melhor que o material anterior e terá distribuição no Reino Unido pela Code7 e no Brasil e demais países pela Arthorium Records, através de parceria com selos e lojas independentes.

Um teaser video com amostras das músicas será lançado no canal Youtube da Arthorium Records em algumas semanas.

Official Fanpage – https://www.facebook.com/wildwitchmetal/

GREY WOLF: banda anuncia coletânea “The Beginning”.

A banda mineira de true heavy metal GREY WOLF revela detalhes de seu próximo lançamento, “The Beginning”, com previsão de chegar às prateleiras entre agosto e setembro deste ano. Tendo lançado nada menos que 6 demos entre 2012 e 2013, o grupo pretende com este material apresentar ao público inúmeras faixas selecionadas deste período, além de incluir algumas faixas ao vivo, fazendo um resumo histórico dos primeiros anos de banda. “The Beginning” contará ainda com duas faixas inéditas compostas exclusivamente para este lançamento.

O disco será lançado em CD pela Arthorium Records. A arte de capa conta novamente com uma bela pintura em tinta acrílica pelo ilustrador francês Nicolas Bournay, já mixagem e masterização ficaram sob responsabilidade de Arthur Migotto (Grey Wolf, Hazy Hamlet, Brothers of Sword).

Enquanto aguarda o lançamento da coletânea, o líder da banda Fabio “Grey Wolf” Paulinelli anuncia que já se encontra trabalhando em composições para um quarto álbum de estúdio e que pretende divulgar em breve os músicos que figurarão no novo material como membros convidados.

Official Fanpage – facebook.com/greywolfmetal
(Site em construção – www.greywolfmetal.com)

VIPER: “Evolution” remasterizado já disponível.

O álbum “Evolution” do VIPER, originalmente lançado em 1992, ganhou uma nova versão remasterizada em formato físico e está à venda na Wikimetal Store – http://wikimetalstore.com.br/.  A versão remasterizada traz como bônus as demos da pré-produção do “Evolution”, que trazem versões bastante surpreendentes de algumas canções que depois ganharam as paradas no Brasil e no Japão.

Gravado na Alemanha e lançado em todo o mundo em 1992, “Evolution” é o disco mais vendido da história do VIPER. Clássicos como Rebel Maniac, Dead Light e Evolution marcaram os anos 1990 com turnês da banda pela Europa e Japão, além de apresentações históricas no Brasil, como a abertura do show do METALLICA em São Paulo.

Confira o tracklist do relançamento do álbum “Evolution”:
LEIA MAIS

O BARDO E O BANJO – Homepath

A música folk tradicional tem crescido bastante no cenário brasileiro nos últimos anos. Embora, ainda não possua uma agregação de público tão expressiva, muitas bandas e festivais que valorizam esse estilo têm surgido por aí. Os paulistanos do O BARDO E O BANJO fazem um som bastante competente calcado em influencias oriundas do Bluegrass e Hillbilly norte-americanos, sendo o primeiro um estilo com fortes raízes na música folk escocesa e irlandesa e típico na região estadunidense da Appalachia. Após sua formação em 2012 pelo multi-instrumentista e compositor Wagner Creoruska Junior, logo soltou dois EPs,  Synergy (2013) e Lakeside (2014), os quais mostraram a qualidade de sua música. Ainda em 2014, eles lançaram Homepath, ainda seu primeiro álbum, que reúne singles dos referidos. Mas este álbum não é apenas uma mera compilação de gravações anteriores, pois aqui a qualidade da produção em geral e a mixagem dão uma boa realçada nas músicas que proporcionam uma viagem no universo folk, remetendo a imaginação inclusive às celebrações tipicamente rurais de pequenas vilas e fazenda e o contato com a natureza. Logo nos primeiros acordes de banjo e do Fiddle na abertura com Turn on your radio você já sabe o que pode esperar: boa dose de diversão e uma atmosfera bem empolgante. Lakeside tem bases e um refrão bem marcantes capazes de grudar na cabeça. Greasy coat tem aquele clima forasteiro de velho oeste. Já Losing my mind tem aquela pegada malandra e descolada. Mas se você quer um clima ainda mais bucólico e emotivo, You need some hope e faixa título se destacam.  The Fall of Willie James tem uma aura totalmente irlandesa e é, por conseguinte, bem festeira. Atualmente, a banda é composta por Wagner Creoruska (Banjo, percussão, vocais), Marcus Zambelo (Mandolin, vocais, sapateado), Peter Harris (Fiddle) e Maurício Pilcsuk (Baixo, vocais) e segue fazendo seus shows pelo Brasil. Ouça sem moderação! Nota: 8,5/10

Por Écio Souza Diniz

Faixas: 1-Turn on Your Radio! / 2- Lakeside / 3-Greasy Coat/ 4-Hangman’s Reel/ 5-Losing My Mind/ 6-Glimpse / 7-You Need Some Hope / 8-Homepath / 9-Music Is My Business / 10-Stepping on the Brake / 11-The Fall of Willie James / 12-Go Away / 13-Bbq All Day Bbq All Night

Links relacionados:

http://obardoeobanjo.com/

https://www.facebook.com/oBardoeoBanjo/

ROÇA ‘N’ ROLL – 19ª edição (2017): quase duas décadas de “mueção”!

Por Écio Souza Diniz e Ramon Teixeira.  Colaborou: Anderson Sabazinho

IMG_3871

Marcando mais uma vez o feriadão de headbangers e entusiastas de música pesada de várias partes de Minas e de outros estados, o Roça ‘n’ Roll chega a sua 19ª edição dando um drible na crise econômica do país e oferecendo ao seus  participantes uma verdadeira maratona sonora regada a rock e metal em sua ampla diversidade musical. Considerado o maior festival de rock de Minas Gerais e um dos mais importantes do cenário nacional, nesta edição o festival contou com um cast intenso e, sobretudo, celebrativo da história do underground mineiro e nacional, proporcionando muita emoção a muitos presentes. Com um line-up que passeou por várias gerações do Rock/Metal nacional (de medalhões com mais de 30 anos de carreira a bandas iniciantes), o Roça mais uma vez fez bonito e “desceu a lage”.

Conhecer e reencontrar amigos, a grande tônica de um festival com um histórico longo de realizações. E esse ano não foi diferente. Para chegar ao festival, o PÓLVORA ZINE embarcou no ônibus disponibilizado pela organização do evento – uma iniciativa que faz parte da campanha “Se for beber, vá de busão” levada a cabo pela organização do festival desde de 2006 – e, logo ao chegar ao centro da cidade, enquanto se esperava o veículo próximo à Nave do ET, já era possível perceber a movimentação dos “camisa preta” infestando toda a cidade, marca registrada da paisagem mística da cidade de Varginha, nessa época do ano. Ao chegar à Fazenda Estrela, o clima de amizade e o entusiasmo pelo que há de vir aumentam consideravelmente, com todos à espera pra detonar tudo (no bom sentido).  LEIA MAIS

TRIBUS FESTIVAL BRASIL 2017: todas as tribos do rock se encontram aqui!

Tribus 2017 (atualizado)Acontecerá em 22 de julho desse ano, na Granja Regina – Carangola/MG, o Tribus Festival Brasil. Em sua 3ª edição, o festival conta com um cast diversificado, composto por bandas de renome no underground nacional e internacional. Até o momento foram confirmadas as bandas TORTURE SQUAD (Death/Thrash – SP); pela primeira vez em Minas Gerais, ARANDU ARAKUAA (Metal Indígena – DF); TEST  (Grindcore – SP); GALWEM (Folk Rock/Rock Rural – MG); PERSECUTER (Thrash Metal – RJ); WHITE DEATH (Heavy Metal – ES); DEMOLITION (Death/Thrash – MG); DSNORT (Rock Independente – MG); OS CAPIAU (Hardcore – MG); RAVENGAR (Punk Rock – ES) e PROGRAMA T.O.R.R (Torismo – MG).

Além das bandas, o evento contará com diversas  atrações culturais, tais como: Tenda Gótica com DJ L nos intervalos das bandas; Exposição de artes visuais Amana, de Thiago Assis; Grupo de capoeira kadara, na Roda das Tribos; Fogueira Folk; Pau de sebo vegan; Rolezinho viking a cavalo; Artesanato; Varal de Poesias e Espaço de conscientização ambiental com doação de mudas nativas para plantio. O festival será open air, contando com área para camping, bar, praça de alimentação e estacionamento.

Evento: Tribus Festival Brasil 2017

Local: Granja Regina – Carangola/MG

Horário: início 14h

Ingressos:

1° lote (limitado, somente enquanto durar o lote): R$36,00 (valor referente a meia entrada e promocional/social + 1 kg de alimento não perecível);

2° lote: R$45,00 (meia) e promocional/social + 1 kg de alimento não perecível. O ingressos podem ser adquiridos antecipadamente, em até 12 vezes sem juros, pelo site da ticketbrasil: https://ticketbrasil.com.br/festival/4926-tribusfestivalbrasil2017-carangola-mg/

*Excursões: reservas do 1° lote promocional pelo e-mail: tribusfestival@gmail.com

Pontos de venda físicos da ticketbrasil (com taxa de conveniência):

– Juiz de Fora/MG: Tukas Rock – Galeria Azarias Vilela, loja 122, Centro;
– Rio de Janeiro/RJ: Hard n`Heavy – R. Marquês de Abrantes, 177 – Flamengo;
– São Paulo/SP: Joker (Galeria do Rock) – Av. São João, 439 – Centro;
– Curitiba/PR: Dr. Rock Centro – Shopping Metropolitan – Loja 04, Praça Rui Barbosa, 765 – Centro
– Porto Alegre/RS: Mil Sons – Av. Alberto Bins, 366 – Centro Histórico;
– Asa Sul/DF: GTR Instituto de Música – SCLS 111, Bloco A, Loja 10, Comércio Local, Sul 111 – Brasília, DF

Ingressos físicos antecipados já disponíveis nos pontos de venda na região (sem taxa de conveniência):

– Em Carangola: Fox Cine Locadora e D`Forno Fast Food
– Em Espera Feliz: Montanhês Café
– Em Muriaé: Om Shanti Tattoo Studio
– Em Manhuaçu: Perfect Wear Street Shop
– Em Itaperuna/RJ: Toca Musical

Classificação etária prévia: Livre. *Menores com 16 e 17 anos podem entrar e permanecer no evento mediante autorização de um dos pais ou responsável legal e acompanhados de um maior devidamente identificado no documento de autorização cujo modelo padrão da Vara da Infância e Juventude da Comarca de Carangola deve ser solicitado pelo email tribusfestival@gmail.com

**Menores de 16 anos entram somente acompanhados de um dos pais ou responsável legal.

Mais informações: https://www.facebook.com/events/379657665715770/?active_tab=about 

ROCK IN IÚNA 5

Rock in Iúna - versão 3Acontecerá no dia 6 de maio, no parque de exposições de Iúna/ES a 5ª edição do Rock in Iúna. A entrada será mediante a apresentação de 1kg de alimento. O evento terá início às 16h e contará com as bandas VENEREAL SICKNESS  (Death Metal – Caratinga/MG), ASS FLAVOUR (Death Metal/Splatter – Vila Velha/ES), DEMOLITION (Thrash Metal – Governador Valadares/MG), HELLSTORM (Death/Black Metal – Raul Soares/MG), SOCO VERBAL (Punk Rock – Cataguases/MG), D.O.R (Thrash Metal/Crossover – Vila Velha/ES), BENÇÄ (Grindcore – Vila Velha/ES) e HEREGE  (Death/Grind – Iúna/ES).  Os alimentos recebidos na entrada do evento serão doados para instituições de caridade do município de Iúna.

O evento conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Iúna e Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo, do Bar do Kalango, da Prospecta Contabilidade, da Auto-escola Caparaó, da Mecânica do Fabinho, da MPV Music e da Pastelaria do Jefinho.

Para mais informações, consulte a página do evento: https://www.facebook.com/rockiuna/?fref=ts 

 

LECTERN – Precept Of Delator

a2481075003_10

O LECTERN foi formado em 1999 em Roma (Itália) e aqui nos apresenta com competência seu quinto álbum, Precept Of Delator (2016). Após diversas mudanças de formação ao longo dos anos, parece que a atual se estabilizou e o grupo agora composto por Fabio Bava (vocal e baixo), Pietro Sabato (guitarra), Gabriele Cruz (guitarra) e Marco Valentine (bateria) coloca para fora sua fúria em nove brutais e técnicas faixas. A sonoridade remete ao Death metal estadunidense dos anos 90, ressaltando o típico estilo consagrado em Tampa (Flórida) por bandas como MORBID ANGEL e DEICIDE, mas com mais referencias musicais para a primeira. Eles não reinventaram nada aqui, mas fizeram bem feito o que se propuseram a fazer, evidenciado numa produção de qualidade com todos os instrumentos bem timbrados, a agressividade e técnica caminhando lado a lado sem excessos em alguma dessas partes e um bom grau de maleficência enrustida nas letras. De uma forma geral, a dinâmica do disco é boa e podem ser destacadas faixas como a abertura com Gergal profaner, que já entra arrebentando tudo, seguida por Palpation of sacaramentarian. Fluent bilocation possui ótimos blast beats, Pellucid destaca ótimos solos e bases mais cadenciadas e Diptych of Perked Oblation é bem consistente em bases fortes e sincrônicas entre todos os instrumentos. Sem dúvida este é um grupo italiano que deve ser ouvido pelos apreciadores de Old School Brutal Death metal. Nota: 8.0

Por Écio Souza Diniz

Faixas: 1-Gergal Profaner / 2-Palpation of Sacramentarian / 3-Fluent Bilocation / 4-Distil Shambles / 5-Pellucid / 6-Diptych of Perked Oblation / 7-Garn For Debitors / 8-Precept of Delator / 9-Discorporation with Feral

ROÇA ‘N’ ROLL – 19ª EXPEDIÇÃO: vinte sete shows em três dias de evento

DATACom a confirmação da banda mineira OVERDOSE, o Roça ‘n’ Roll definiu a programação da edição deste ano. Serão 27 atrações em três dias de evento. Somente no sábado (17 de junho), 22 bandas estão escaldas para os palcos e para Tenda Combate na arena roçeira da Fazenda Estrela, em Varginha/MG.  A programação do Roça ‘n’ Roll começa na quinta-feira (15 de junho) na Quinta da Boa Música com as bandas RURAL WILLYS e SALÁRIO MÍNIMO, que também se apresenta no sábado, dia principal do evento. A Quinta da Boa Música é um projeto de ocupação cultural da antiga Estação Ferroviária de Varginha promovido pela Fundação Cultural da cidade. No mesmo dia, a banda BLACK FOXXER, de Pouso Alegre/MG se apresenta do Jardim Elétrico Pub.

Na sexta-feira (16 de junho), o Roça ‘n’ Roll ocupa o Subsolo Music Bar com a banda varginhense MOTOSSERRA TRUCK CLUBE (MTC) e com as belo-horizontinas MOTORVADER (tributo ao Motörhead) e SANTA MADRE CASSINO (tributo ao Matanza). No show, o MTC divulga o vídeo clipe “A Viagem não Pode Parar” marcando o retorno do vocalista Thiago Giovanella à banda.

Para o sábado (17 de junho), estão confirmadas apresentações das bandas  MOONSPELL (Portugal), MARTIN WALKYIER (Inglaterra), TUATHA DE DANANN, OVERDOSE, PROJECT 46, MIASTHENIA, SOULSPELL, SUPLA, ANEUROSE, LOTHLÖRYEN, SALÁRIO MÍNIMO, LOBOTOMIA, NEW DEMOCRACY, SCOURGE, SURRA, VÁLVERA e VENEREAL SICKNESS nos palcos. Este ano, a Tenda Combate destaca os grupos INCURSE (Varginha/MG), UNTIL THE END (Itaúna/MG), APPLE SIN (Barroso/RJ), CREMATÓRIO (Divinópolis/MG) e HEREGE (Maria da Fé/MG).    LEIA MAIS

THE ATOMIC BITCHWAX: show único em São Paulo.

17554968_10209536821282777_293091977_n

Com quase duas décadas de estrada e uma sonoridade singular que agrega referências de distintos gêneros e energias, a inédita vinda do power trio estadunidense THE ATOMIC BITCHWAX à América do Sul é uma das mais interessantes turnês neste começo de 2017. O aguardado show chega a São Paulo no dia 5 de abril, no Clash Club, a partir das 19 horas. Esta será a única apresentação da banda no Brasil, com produção da Abraxas e abertura das locais Grindhouse Hotel e Projeto Trator. Outros shows acontecem na Argentina e no Chile.

Chris Koznik (vocais, baixo), Bob Pantella (bateria) e Finn Ryan (guitarra) sintetizam vibrações psicodélicas dos anos 60, riffs setentistas marcados e elementos do rock progressivo moderno em um stoner/hard rock vigoroso e cheio de pegada, sendo uma das bandas responsáveis pela consolidação do gênero na década de 1990 (inclusive, compartilhando alguns de seus membros com a icônica Monster Magnet).  LEIA MAIS

SKINLEPSY – Dissolved

produto_Foto1_9400796

Já em Condemning the empty souls (2013) o SKINLEPSY já fez jus a experiência dos veteranos que constituem a banda que passaram por bandas como ANTHARES, NERVOCHAOS, PENTACROSTIC e SIGRIED INGRID, tendo a frente atualmente André Gubber na guitarra e vocal, Leonardo Melgaço na segunda guitarra e Evandro Júnior na bateria. A banda não contou com o baixista Luis Berenguer, tendo o baixo sido gravado por Grubber. A fórmula Thrash/Death metal está intacta e de uma forma geral segue a linha do debut, mas o fato é que neste segundo álbum, os caras parecem ter acumulado um ódio ensandecido que culminou em 10 faixas sem trégua, soltando decibéis de riffs poderosos que ainda ficaram mais evidentes com a adição de uma segunda guitarra, permitindo boas alternâncias de bases, e um vocal mais raivoso comparado ao debut. A produção está impecável, desde a timbragem dos instrumentos até masterização e dinâmica das músicas. Logo de entrada vem a porrada com Perfect plan com seus riffs cortantes e compassados em algumas partes, a qual emenda na também certeira The mentor, cujo vocal está insano.  Caustic honor possui um solo muito bem elaborado e colocado. Insomnia é um tema instrumental bem legal, denso, pesado, com boa versatilidade, mostrando que não só de peso vive o homem, mas saber explorar esses elementos é essencial. Mas os destaques maiores ficam para trinca composta por The hate remains the same, também com ótimos solos e um refrão marcante, a faixa título, cuja temática se encaixa bem no seu peso e densidade, abordando a decadência, a luta e o desespero que pessoas viciadas enfrentam perante o vicio em drogas como o Crack, e o fechamento em grande estilo com a regravação de Murder do SIEGRID INGRID, banda lendária que Evandro e Grubber fizeram parte nos anos 90. Dissolved é uma avalanche sonora sem concessões nem modismos e, portanto, digo muito racionalmente que estamos diante de um dos grandes lançamentos de 2017. Nota: 8.5

Por Écio Souza Diniz

Faixas: 1-Perfect Plan / 2- The Mentor / 3.-Ask to Diablo / 4- The Hate Remains the Same / 5- Caustic Honor /6- Dissolved / 7.-Blood and Oil / 8-Insomnia / 9- A New Chance of Life / 10- Murder

ATACKE NUCLEAR – Extermínio

 

download

A banda Sul-mineira ATACKE NUCLEAR, oriunda de Três Corações, vem deixanado sua marca no underground nacional através de seu Crossover e Thrash Old School autêntico e direto, que retrata a realidade de nosso país e de sua região e cidade, uma das mais violentas do Estado. Agora como trio composto por Gregori (Guitarra e Backing vocal), Luiz O. (Baixo e Backing vocal) e Eduardo S. (Bateria e Vocal) neste segundo álbum mostram musicas ainda mais elaboradas e pesadas do que no debut Caos mundial (2010). A gravação tem uma pegada mais crua, mas que mantêm a clareza necessária para se ouvir perfeitamente todos os instrumentos e vocal, dando uma realçada na agressividade das músicas. As alternâncias entre o Thrash típico de bandas como EXODUS, o Crossover de bandas como SUICIAL TENDENCES e o Speed/Thrash são notadas no decorrer da audição. Mas o principal é de fato a pegada mais Speed/Thrash que percorre o disco, além de alguns elementos Death/Thrash nacional aqui e acolá. A faixa de abertura, Mercadores da morte, já entra com uma boa base de riffs dobrados que logo entram numa pegada mais cortante. Crucifique os falsos entra arrebentando tudo com ótimos solos e uma base muito consistente da bateria. Mas é em Suicidas que temos um dos melhores momentos, visto que é a mais pedrada de todas, lembrando a mescla mineira clássica do Thrash/Death, uma espécie combinação sonora entre MUTILATOR e SARCÓFAGO. Inclusive, nas partes mais cadenciadas lembra o SARCÓFAGO das fases I.N.R.I e Rotting. Ainda se destacam Vítimas do sistema com ótimos “blast beats” e solo lancinante, Silêncio da conveniência com seu refrão marcante e a faixa título que é um esporro sobre a alienação que um governo absoluto submete à nação para ir exterminando-a lentamente. No final das contas ao colocar Extermínio pra rolar, apenas não ouça em volume baixo e sem banguear! Nota: 8.5

Por Écio Souza Diniz

Faixas: 1-Intro – Lamentos do Inferno / 2-Mercadores da Morte / 3-Crucifique os Falsos/ 4-Suicidas / 5-Vítimas do Sistema / 6-SOS Indígenas / 7-País Fantasma / 8-Silencio da Conveniéncia / 9-Extermínio / 10-Guerreiros do Underground/ 11-Impiedade / 12-Insulto

WOLFHEART: terceiro álbum com um novo vídeo disponível.

f79e6010-b23d-4d58-9b51-86102498e7d6

A banda finlandesa de Winter metal, WOLFHEART, acaba de lançar o seu terceiro álbum, intitulado “Tyhjyys” (trad. Vazio), cujo lançamento mundial é assegurado pela Spinefarm Records. Com oito faixas, “Tyhjyys” é um álbum ainda mais negro, mais frio, mais rápido e versátil que o WOLFHEART transmite ao ouvinte uma fragrância brutal da nevasca finlandesa.  O WOLFHEART acaba de lançar um novo vídeo “World On Fire”, que é também o último single do novo álbum “Tyhjyys” e termina a história que foi iniciada no vídeo anterior “The Flood”.

O single “World On Fire” já está disponível no Spotify, Apple Music, Itunes, Deezer ou Tidal:  http://lnk.to/worldonfireAr

c742d18d-2915-46ab-82b9-552003d43084

“Tyhjyys” é o décimo sexto álbum da carreira do líder do WOLFHEART, Tuomas Saukkonen (talentoso multi-instrumentalista, produtor e compositor responsável por bandas como Before The Dawn, The Final Harvest, Black Sun Aeon, Routasielu e Dawn of Solace). “Tyhjyys” foi gravado em dois estúdios: Petrax Studio (Children of Bodom, Nightwish, Amorphis, etc.) e Deep Noise Studio em Kouvola, Finlândia. O álbum foi masterizado no Soundspiral Audio por Juho Räihä.

“Tyhjyys” pode ser adquirido a partir da Record Shop X (envios para todo o mundo):
http://www.recordshopx.com/artist/wolfheart/tyhjyys/#501004

WORLD ON FIRE no Youtube:

https://www.youtube.com/watch?v=n0Z2-6aZoY4&feature=youtu.be

MIASTHENIA: primeiro show no sul de Minas no Roça ‘n’ Roll 2017.

misthenia_03_edit

O MIASTHENIA, uma das mais expressivas bandas do underground brasileiro, está confirmado para 19ª expedição do Roça ‘n’ Roll. O grupo brasiliense de Extreme Pagan Metal toca no sábado (17 de junho) em um dos palcos principais da arena do evento montada na Fazenda Estrela. A passagem pelo festival é a primeira apresentação da banda no sul de Minas Gerais.

De acordo com o guitarrista Thormianak, os seguidores da banda podem esperar “o melhor” do grupo no Roça ‘n’ Roll. “Somos uma banda que se entrega demais no palco, por isso não fazemos muitos shows, pois fazemos de cada um deles um momento especial”, explica. Formado em 1994, o MIASTHENIA é uma das bandas mais tradicionais da cena underground do Brasil e uma das primeiras do país a abordar temas sobre a civilizações pré-colombianas. Segundo a vocalista e tecladistas Hécate, o tema foi escolhido não apenas para mostrarem a importância dessas civilizações no contexto histórico das Américas, mas também pela riqueza do misticismo desses povos. “A história e os contos são dignos de abordagem poética. Fazemos as letras dessa maneira, contamos e rimamos a história dos esquecidos. É muito gratificante ter influenciado de forma benéfica muita gente por conta de termos escolhido esse tema em especial para dar vida ao nosso som”, relata Hécate.  LEIA MAIS

MOONSPELL: confirmado para o Roça ‘n’ Roll 2017.

10365906_741749009213697_1345884768961112130_n

O ícone do Dark/Gothic Metal português, MOONSPELL, é o primeiro headliner da 19ª expedição do Roça ‘n’ Roll. O MOONSPELL vai se apresentar pela primeira vez no Sul de Minas Gerais no dia no sábado, 17 de junho, durante o feriado de Corpus Christi. A passagem pelo Roça ‘n’ Roll integra a turnê de 25 anos do grupo.

A banda, liderada pelo vocalista Fernando Ribeiro, foi formada em 1992 na cidade de Lisboa e a partir do primeiro álbum “Wolfheart” (1995) se tornou a principal referência portuguesa no segmento Metal. O grupo já excursionou por diversos países do mundo e possui 11 álbuns, coletâneas e singles lançados. Em 2015, a banda foi atração do palco Sunset do Rock in Rio. Nesse show, o grupo português recebeu o vocalista Derrick Green, do Sepultura, como convidado especial. No mesmo ano, editora brasileira Aquários lançou o livro “Purgatorial”, com uma coletânea de contos e poesias do vocalista Fernando Ribeiro.

De acordo com Bruno Maia, da Braia Produções, a vinda do MOONSPELL para o interior de Minas Gerais mostra a importância do Roça ‘n’ Roll na interiorização dos shows de bandas internacionais no Brasil. Segundo ele, a proposta do Roça ‘n’ Roll permite que muitos fãs que, normalmente, não teriam condições de viajar à São Paulo ou Belo Horizonte, assistam à shows de sua banda favorita e de diversas outras bem perto de casa. “O Moonspell é uma banda super atual. Como é uma turnê comemorativa, devem tocar músicas de toda carreira. E isso vai agradar os fãs de diversas fases. Eu aprecio muito os trabalhos lançados na década de 90 e conheço pessoas que gostam mais da fase atual”, ressalta o organizador.

ROÇA ‘N’ ROLL: http://www.rocainroll.com/

http://www.facebook.com/ FestivalRocaNRoll

http://www.youtube.com/ RocaNRollFestival

http://www.twitter.com/ rocainroll

MOONSPELL: https://pt-br.facebook.com/ moonspellband

VÍDEOS:

Extinct: https://www.youtube. com/watch?v=KXWMYmNcUqI

Opium: https://www.youtube. com/watch?v=XoooX3OVGoI

White Skies: https://www.youtube. com/watch?v=gzLtoBKgmB4