REVOGAR: Inovação no Metal Extremo!

Por Écio Souza Diniz

Uma das confirmações da intensa cena extrema que há no sul do nosso país, é a banda REVOGAR, portadora de um som que mescla Death e Black Metal em boas proporções, e ainda tem diferenciais nas músicas, em relação as coisas que ouvimos atualmente em termos de Extremo. Para nos falar mais sobre a banda, chamamos o fundador, guitarrista e vocalista, Wagner Santos.

Pólvora Zine: Quando foi formada oficialmente a banda? Fale-nos de seu objetivo em fundá-la.
Wagner Santos: Após o termino da gravação do CD em 11 de setembro de 2010, eu convidei o guitarrista Diego Araujo (PUREFATOS) e o Baterista Jeferson Oliveira (SKY IN FLAMES) para a audição do material, seguido do convite para ingressarem à REVOGAR. O objetivo em ter fundado a banda está relacionado a uma experiência em ter gravado a musica ‘Berço da Revolução’, em português, para ver como iria soar. Assim, convidei alguns amigos músicos para que escutassem o material, e os mesmos acharam que era possível que essa proposta de Death-Black Metal em português pudesse dar certo, até mesmo por que neste estilo não temos nenhuma banda com esta proposta no nosso cenário!
P.Z: Inicialmente foi você quem compôs as músicas? A propósito, como funciona o processo criativo da banda?
Wagner: Logo após ter recebido boas críticas de meus amigos sobre a música ‘Berço Da Revolução’, o segundo passo foi começar a composição das letras das outras 7 músicas, e os arranjos instrumentais das mesmas. Este processo levou em torno de um mês, pois tive de compor todos os instrumentos sozinho e mais três meses para gravação e finalização do material. Hoje, o processo de composição das músicas já esta modificado, pois eu componho as letras e os arranjos da guitarra principal, deixando a segunda guitarra aos cuidados de Diego Araujo e apenas determino o andamento da música ao Jeferson Oliveira, que cria seus próprio arranjos.
P.Z: Liricamente, há algum padrão que você pretenda seguir na REVOGAR?
Wagner: Prefiro não colocar uma linha reta na parte lírica da banda, pois essa é a parte que merece maior atenção na hora de compor uma musica, no CD “Vale Dos Suicidas” eu falo sobre a hipocrisia das religiões no dia a dia do mundo, relacionada às guerras doutrinárias da política e às crenças, que prendem o ser humano e os tornam cada vez mais bitolados aos dogmas!
P.Z: Suas influências são de Metal 80’s. Diante disso, o que você acha do cenário atual do Metal? Quais foram suas maiores inspirações?
Wagner: O cenário atual ligado as bandas antigas está fazendo bom uso das tecnologias de sonoplastias, que antes só eram usadas em filmes americanos, que por sinal essas mesmas bandas esqueceram da parte lírica das músicas e acabaram se preocupando apenas com os efeitos sonoros dos seus materiais. Isto é o contrário das bandas que estão surgindo agora aqui no Brasil, que se preocupam muito mais com o que vão falar e defender em tese. Isso é o que era os anos 80, hoje apenas as bandas Brasileiras se preocupam no como vai ser interpretado o seu material e isso é muito bom, pois de certa forma torna o nosso cenário muito mais profissional do que o dos gringos, que se preocupam apenas com as firulas que irão introduzir em seus materiais. Já inspiração é difícil eu falar, pois eu escuto desde o Heavy Metal Tradicional até o Brutal Death Metal, assim como posso estar escutando um DIO ou UDO, posso estar escutando um KRISIUN ou um NILE, e isso também me ajuda, pois me traz mais conhecimento rítmico para as composições.
P.Z: Algo interessante que noto nas músicas de vocês, como ‘Casa do diabo’ e ‘Solo maldito’, é que além de uma forma mais Oldschool de tocar, com som mais direto e ríspido, é o timbre do vocal, que permite um fácil entendimento das letras e dá um aspecto diferenciado à REVOGAR. O uso de vocal “mais limpo” foi algo intencional? O que você acha disso?
Wagner: Tive de tornar o vocal mais limpo para que ficasse mais fácil de se interpretar a letra, sem um encarte fica difícil as vezes de se entender o que esta sendo dito pelo vocalista, e isso também torna a banda mais forte pois expõem muito mais as letras, dando mais peso ao conteúdo do material.
P.Z: Outro aspecto interessante são o clima e as introduções com clima melancólico, que fazem um bom jus ao primeiro trabalho da REVOGAR, que está sendo lançado, intitulado “Vale dos suicidas”. Conte-nos como foi o processo de composição deste material.
Wagner: Quando componho uma música, eu começo primeiro pela letra para que possa ser feita a linha de voz sem instrumentos, desta forma é muito mais difícil uma música se parecer com a outra. Os climas melancólicos são criados logo em seguida em cima dos temas das letras, procuro fazer as músicas soarem com uma certa ironia em cima do conteúdo das letras, até mesmo por que nesse CD falamos muito sobre a hipocrisia cristã e outros dogmas.
P.Z: Como está sendo distribuído o “Vale dos suicidas”? De forma independente? E a repercussão e aceitação diante do público underground?
Wagner: Teremos uma reunião da banda na primeira semana de janeiro, para decidir como será distribuído o material da Revogar logo após comunicaremos a Metal Army, que é o nosso selo de assessoria de imprensa. Eu não esperava que fosse soar tão bem ao ouvido dos headbangers o nosso material, estamos tendo uma resposta muito positiva das pessoas que acessam o nosso Myspace e escutam nossas músicas, embora não esteja liberado para download elas sempre voltam para escutar as músicas e saber notícias sobre o material de marketing da banda.
P.Z: Há músicas já sendo produzidas para um posterior lançamento?
Wagner: Sim, temos mais oito músicas prontas que já começaram a ser ensaiadas, e nesta reunião na primeira semana de janeiro, iremos discutir também quando vamos começar as gravações do segundo CD.
P.Z: Como anda a tour para divulgação do trabalho de vocês? Tiveram alguma proposta para tocar aqui em Minas?
Wagner: Vamos começar a acertar a ordem dos shows a partir de fevereiro de 2011, momento em que abriremos o show da banda BESATT (Polônia) aqui no sul. Após isto, temos convites do Paraguai, Uruguai e Argentina para março de 2011, não surgiu a oportunidade de tocarmos em Minas ainda, mas em Agosto de 2011 tocaremos no Rio de Janeiro no Areal Metal Fest. Talvez esteja aí a oportunidade de tocarmos em Minas, já que estaremos mais perto e o custo para organizadores de eventos se torna menos pesado!
P.Z: Quais são os planos da REVOGAR para 2011?
Wagner: Priorizaremos a divulgação do CD “Vale Dos Suicidas” em shows, e daremos início em janeiro  a gravação do clipe da faixa-título do CD.
P.Z: Wagner, valeu pela entrevista, que este ano que se aproxima seja prolífero para vocês.
Wagner: Desde já agradeço a oportunidade e o espaço cedido pelo Pólvora Zine, para divulgar o nosso  lançamento, e aos leitores desejo um 2011 com força e honra para todos!
Mais informações:

 

Adicionar aos favoritos o permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.