Márcio Cativeiro (Apokalyptic Raids, Internal bleed…): Versatilidade no Metal Extremo!

Por Écio Souza Diniz
Versatilidade e técnica para se tocar estilos diferentes dentro do metal, são duas coisas que muitas vezes não encontram o equilíbrio necessário pra tantod. Vindo de uma banda de Brutal Death metal (INTERNAL BLEED) e uma de Grindcore (CADAVERIC IMPREGNATION), e entrando em uma banda de Death metal oitentista (APOKALYPTIC RAIDS), o baterista Márcio Cativeiro mostra a cada dia que é possível tocar algo “incomum” ao seu estilo musical com garra e feeling. O Pólvora Zine o convidou a falar ao público detalhes de sua carreira musical, as bandas que toca e muito mais.
 
Pólvora Zine: Fala Márcio, beleza brother? Vamos falando de quanto tempo você já está na ativa. Conte-nos um pouco sobre seu trajeto até as bandas em que toca atualmente?
 
Márcio Cativeiro: Eu comecei tocando baixo com 13 anos. Ficava tirando covers como: Iron Maiden, Black Sabbath …, tive banda com amigos pra ficar tocando os covers, mais não durou muito, e assim surgiu o meu primeiro contato com a bateria. Num ensaio qualquer, quando estávamos apenas conversando sobre quais mùsicas iríamos tirar para tocar, sentei na bateria para brincar e foi amor na hora! Com 15 anos ganhei minha primeira bateria, uma BNB horrorosa, você batia na caixa, tom e surdo era tudo igual (Risos). Tive aulas de bateria com André Marques, baterista que tocou em bandas como : DKV e com Ronaldo Alvarenga, ex- Chico Buarque. Toquei em muitas bandas e passei por diversos estilos musicais. Toquei nas bandas OBSIN (heavy Metal Tradicional), MORBID DEFORMATION (Gore Grind), RAW RAZE (Heavy Metal) e KABARAH (Black Metal). Hoje em dia toco com o APOKALYPTIC RAIDS (Death Metal Old), BESTIAL CURSE (Black metal), INTERNAL BLEED (Brutal Death Splatter) e CADAVERIC IMPREGNATION (Grind Core).
 
P.Z: Dentre todas as bandas que você compõe e os projetos que participa, as bandas INTERNAL BLEED e CADAVERIC IMPREGNATION, merecem considerável destaque. A primeira com seu Brutal Death Splatter, mostrando influências evidentes de Deicide, Cannibal Corpse, Napalm death, entre outras. Já a segunda constituí-se em uma sonoridade ainda mais crua, com músicas pesadas, curtas e grotescas no melhor estilo Grindcore, com muita influência de NAPALM DEATH e ABSOLUT DISGRACE. Como vem sendo o destaque de ambas as bandas?
 
Márcio: Cada uma se destaca em sua proposta. Com o INTERNAL BLEED conseguimos fazer bastante shows, tanto dentro quanto fora de nosso estado e tocamos com banda importantes do nosso cenário como MYSTIFIER, FARSCAPE, VIOLATOR, UNEARTLHY, entre outras. O CADAVERIC IMPREGNATION era para ser uma banda, mas no final ficou só como um projeto mesmo, no qual eu gravo e vejo algum selo para lançar. Temos bastante material lançado fora do Brasil.
 
P.Z: As suas bandas citadas na pergunta anterior, estão para lançar um Split no meio do ano, intitulado “QUARTERED”. A quantas está a produção deste trabalho? O que podemos esperar dele?
 
Márcio: As duas bandas foram criadas juntas. Conversando no ensaio veio a idéia de fazer um split. Como começamos juntos, por que não do primeiro material em cd não serem juntos! Estamos em estúdio gravando o mais novo artefato. Podem esperar bastante barulho e agressividade.
 
TOQUE RÁPIDO OU MORRA!!!
 
P.Z: No Cadaveric Impregnation você deixou as baquetas para assumir as seis cordas da guitarra. Como foi essa experiência e porque você ocupou este posto? Você também toca guitarra a muito tempo?
 
Márcio: O CADAVERIC IMPREGNATION surgiu comigo e o Renato Marginal baterista da banda Gore (Grind Core/RJ). Mostrei para ele algumas idéias que tinha, idéias que não se encaixam na INTERNAL BLEED. Ele também tinha algumas musicas. Chamei Ronaldo Padula um grande amigo meu para gravar com agente a voz. Fomos para o estúdio ensaiar e acabou q no mesmo dia gravamos alguns “barulhos”. Barulhos que foram muito bem aceitos, saímos em algumas coletâneas e splits dentro e fora de nosso país.
 
P.Z: Além dessas bandas você toca na banda de Death/Black metal, BESTIAL CURSE que lançará split com o LIFE LOCK do Espírito Santo e também gravará com a banda EVIL SLAUGHTER de Trash metal e DRUNKILLER de Grindcore (na qual você toca baixo), ambas do Rio. Conte ao público qual a proposta musical dessas bandas? Qual a maior recompensa em se trabalhar com todas elas, tocando também instrumentos diferentes? E cara, como você consegue conciliar tudo isso de uma vez só (Risos)?
 
Márcio: Realmente é complicado (Risos), mas vamos por parte. O BESTIAL CURSE, eu tocava com o Armando Exekutor guitarra/vocal do Flageladör no Kabara (RIP), assim que a banda terminou tínhamos algumas musicas não gravadas. Como tinha acabado o KABARAH entramos em estúdio para gravar uma demo , 4 musicas. Nisso com a boa aceitação do material lançado recebemos a proposta do selo Dark Sun (RJ/Macaé) para gravar um álbum. EVIL SLAUGHTER (Thrash metal) e DRUNKILLER (Grind Core) , todos nós somos amigos de longas datas. O caso deles são bem parecidos, ambos ficaram sem baterista e me chamaram para gravar, como não gosto nem um pouco de ter mil bandas a resposta vc já sabe né rsrs. Só que com o DRUNKILLER gravei o baixo também, exeperiêcia nova, porém muito boa, além de adorar o som deles.
 
P.Z: O Internal Bleed, relançou ano passado no formato tape a demo “DOUBLE CARNAGE”, intitulado “LIVING DOUBLE CARNAGE”, que conta com as duas músicas já gravadas anteriormente na demo, além de outras 6 faixas gravadas no evento The Apocalipse is Here (Juiz de Fora – MG) em 2008. Este relançamento conta ainda com a participação do seu companheiro de banda, Leon Manssur (Apokalyptic Raids) na homenagem prestada ao VULCANO no clássico Witches Sabbath e também no processo de produção da tape. Qual foi a importância e contribuição do Mansur na produção deste trabalho?
 
Márcio: O Leon é fundamental para qualquer banda que eu toque, apesar dele não gostar dos barulhos que eu amo rsrsrs ele é um dos poucos que estuda e estende qualquer proposta dada a ele. Toco com ele tem 3 anos já. Aconteceu que um dia aqui em casa mostrei o show de Juiz de fora e o som da demo do INTERNAL BLEED, após um dos milhares de ensaios do APOKALYPTIC RAIDS. Nisso ele começou a mexer nos sons, masterizou tudo em alguns horas aqui em casa e me mostrou para ver o q achava. Achei sensacional. Entrei em contato com alguns selos e logo saiu a tape.
 
P.Z: Como foi o show de vocês aqui em Minas no The Apocalipse is here? A receptividade do público, organização, aspectos gerais, o que você achou do festival?
 
Márcio: O show foi muito bom, sou suspeito em falar de MG, pois amo o lugar e tocar então, pra mim se torna perfeito. Quem organizou o show foi o Fernando Extremo, meu amigo de longa data. Ele sempre consegue superar todas as nossas expectativas, nunca tive o q reclamar dele. Valeu muito apena e estamos esperando o próximo convite!
 
P.Z: Falando agora do APOKALYPTIC RAIDS, como você chegou a integrar a banda? E como foi trabalhar um estilo “contrário” aos tipos de metal que você é mais acostumado a tocar. Visto que Grind e Brutal Death possuem uma bateria bastante pesada e o Death primordial dos anos 80, tocado pelo APOKALYPTIC RAIDS é uma bateria mais técnica e rápida?
 
Márcio: O convite do Leon Manssur veio após a ultimo apresentação do KABARAH em Juiz de fora/MG. Ele assistiu o show e algumas semanas depois me chamou para tocar com ele. Sempre toquei e gosto de tocar coisas rápidas, death metal, grindcore, crust. O APOKALYPTIC RAIDS esta sendo muito bom, apesar de ter que segurar a minha onda as vezes. Cada uma tem a sua técnica e velocidade dentro do seu estilo. Porém nenhum perde o seu peso e qualidade. Tocar no APOKALYPTIC RAIDS é muito bom. Não tenho o que reclamar de nada, como músicos ou como pessoas.
 
P.Z: A banda (Apokalyptic raids) está em processo de lançamento de seu quarto álbum (Vol. 4 – Phonocopia). Como está sendo o trabalho que você está fazendo neste álbum? Aliás, como é tocar com eles? Trabalhar com o Mansur, que já tem uma longa estrada percorrida no metal?
 
Márcio: Ta sendo maravilhoso! Trabalhar com o Leon é muito bom. Pessoa bem sincera e dedicada em sua proposta. Dei algumas idéias, ele outras. Fizemos algums pré-demo do que vai ser o 4º álbum. Espero que gostem.
 
P.Z: O APOKALYPTIC RAIDS tocou no festival Roça and roll, em Varginha – MG em 2008 e pude assistir um puta show que vocês fizeram, com direito a participação de Angel (Vulcano) em cover do HELLHAMMER (do clássico álbum Apokalyptic Raids). Apesar de o público ser bastante misturado, devido as diversas vertentes de metal que tocam lá, quais os maiores e saldos e boas lembranças você tem daquele dia?
 
Márcio: VULCANOOOOOOOOOOO . Po tocar HELLHAMMER é muito bom, com o Angel no vocal então foi perfeito. Era algo que não tínhamos em mente, ele perguntou qual cover do HELLHAMMER que íamos tocar, falamos para ele e convidamos na hora . O evento foi muito bom oferece uma ótima estrutura. Além de bandas muito boas que tocaram no mesmo dia. Valeu para ver os amigos distantes, por o papo em dia. Valeu do começo ao fim.
 
P.Z: Sua carreira no metal, tem se mostrado bastante promissora, dando aulas de bateria, tocando instrumentos diferentes e gravando a todo vapor. Você pensa em se focar algum dia, efetiva ou paralelamente no ramo da produção musical?
 
Márcio: Olha, mais foi o que aconteceu. Montei um estúdio de ensaio e gravação com um amigo meu. Cativeiro Estúdio. Já dava aula em casa de bateria, aos poucos ia comprando equipamento para ensaiarmos aqui em casa, recebi a proposta do Renan Carriço (Soulifer) para montarmos um estúdio. Montamos ele aqui no RJ. Trav. Maria Elmira, 20. Santa Rosa – Niteroi. Alguns projetos e bandas vão ser gravados la. Aguarde e confira!
 
P.Z: Pra ir finalizando, há algo mais que podemos esperar para este ano, além de todos os trabalhos já sendo feitos e a serem lançados? Há também alguma previsão ou proposta de alguma de suas bandas tocarem por aqui?
 
Márcio: Todos os matérias serao lançados esse ano. Pretendo finalizar a gravação de tudo até agosto. No momentoso aóa tour do APOKALYPTIC RAIDS q vai rolar, passando por vários estados do Brasil. Convites recebemos, mais nada certo ainda. Prioridade no momento é de terminar as gravações, para marcar novos show com as outras bandas. Estamos abertos a convites!
 
 
P.Z: Obrigado pela entrevista Márcio, sucesso em todos os seus projetos, estamos aí pra divulgar.
 
Márcio: Eu é que agradeço a você por ter me dado espaço para divulgação o meu trabalho. Continue assim. Força ao metal Nacional
 
Abração
Apokalyptic Raids
Acesse o myspace oficial:
 
 
Myspace da banda Internal bleed:
 
 
Cadaveric Impregnation:
 
Bestial Curse:
 
Apokalyptic Raids:
 
Vídeos:
 
Cadaveric Impregnation – The dilacerated Rotten Skull
 
 
Cadaveric Impregnation – Cadaveric Impregnation
 
 
Internal Bleed – Hammer Smashed Face – Cannibal Corpse COVER (05.09.2009 Cordeiro Massacre)
 
 
Internal bleed “Raped And Decapitated”
 
 
Flageladör – Cavaleiro Nuclear (18.04.2010 Duque de Caxias/RJ)
 
 
Flageladör – ULTIMATUM (intro) + PERSEGUIR e EXTERMINAR
 
 
Marcio Cativeiro (INTERNAL BLEED – SCULPTOR OF CADAVERS)
 
 
 
 
 
 
Adicionar aos favoritos o permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.