Resenha: Rising Metal Fest (14ª edição) – 14-03-2015

Por Ramon Teixeira

Fotos: Elegia e Canto

Hatefulmurder

HATEFULMURDER

No mês de março, exatamente no dia 14, a cena heavy metal de Conselheito Lafaiete-MG abriu sua temporada de shows do ano em grande estilo com um de seus tradicionais festivais, o Rising Metal Fest. Produzido pela Sabazinho Produções, o festival chegou à sua 14º edição apresentando um line-up de respeito tanto por contar com bandas de variados gêneros dentro do metal quanto por escalar bandas da velha e nova escola do metal nacional.

Às 19:00 em ponto as portas do Clube Santa Cecília estavam abertas ao público, que inicialmente ainda em pequeno número preferiu ficar do lado de fora até que se ouvisse os primeiros acordes da primeira apresentação. E às 20:00 quem deu o pontapé inicial arrastando aos poucos os  bangers para dentro do recinto foi a banda NOISE MORE BLEED. Capitaneada pelo vocalista Pedro Moreira a banda executou seu thrash/groove metal em um setlist curto, mas certeiro e empolgante. Destaque para os covers de New Level (PANTERA) e Attitude (SEPULTURA) que levou os presentes à insanidade.

Noise More Bleed

NOISE MORE BLEED

Por uma questão de atraso da banda SPECTRUM, escalada para tocar logo em seguida, adiantou-se e subiu ao palco a experiente banda de Death metal NECROBIOTIC. E com 21 anos de carreira, o que F.A.C.O. (guitarra e vocal), Humberto Silva (guitarra), Fabrício Franco (baixo) e Broka (bateria) fizeram foi abalar a estrutura do clube com seu rolo compressor death metal. Promovendo o seu lançamento, Death Metal Machine (2014), a banda despejou todo o ódio e rispidez possível direto nos ouvidos dos bangers. Foi o que foi possível ver quando da execução das cadenciadas Apenas um Primata e a faixa-título do novo álbum. A bomba explodiu mesmo quando executaram as antigas músicas com uma pegada mais splatter, Foie Grass e Viruses of your Sickness.  

Necrobiotic

NECROBIOTIC

Após a visceral apresentação vista pelo público, era a vez da banda de Heavy metal SPECTRUM. Agora em quarteto, a banda apresentou um setlist autêntico composto por músicas originais cantadas em português que contam um pouco da história do Brasil e de Minas Gerais. Homens Cansados, Povo Brasileiro – música cheia de swing nordestino e um belíssimo solo – deixou boquiaberto pela qualidade e inovação quem assistia ao show. Como brinde, War Pigs (BLACK SABBATH) fez lembrar naquela noite a origem de tudo.

Até o momento o festival caminhava bem – com uma ou outra falha nos PAs, mas nada que interferisse negativamente nas apresentações – e era chegada a hora de a banda RIZZI, banda de Gothic metal de Espera Feliz-MG, mostrar seu trabalho. O primeiro show da banda após terminarem os trabalhos de gravação de seu primeiro EP no Fusão Estúdio, sob comando de Thiago Bianchi (NOTURNALL), os integrantes, com uma guitarra a menos apresentaram cinco músicas, das quais duas eram inéditas, Folk e Lost Desires. Para alegria de todos, a banda fechou com uma homenagem ao DIO, tocando Holy Diver.  Fez falta no setlist a música The Rain.

Spectrum

SPECTRUM

Para finalizar a noite com chave de ouro, promovendo o excelente No Peace (2014), sobe ao palco a banda carioca, conhecida já do público de Lafaiete, HATEFULMURDER. E o que se viu foi uma avalanche de peso, groove e técnica. Com um repertório impecável, Felipe Lameira (vocal), Renan Campos (guitarra e backing vocal), Thomás Martinoia (bateria) e Felipe Modesto (baixo) não deram espaço para o cérebro se ajustar na cabeça e colocaram a casa a baixo ao comandar um mosh pit insano do início ao fim de sua apresentação. Músicas como Gates of Despair, Black Chapter, Fear My Wrath e Scars to God fizeram os ouvidos de muitos sangrarem.  A versão Death metal (!) para a música N.I.B do Black Sabbath com todo mundo cantando em uníssono foi um espetáculo a parte.

Rizzi

RIZZI

Adicionar aos favoritos o permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.