ATSPHEAR – Redshift


“Redshift”, o último lançamento dos espanhóis da ATSPHEAR, é uma perfeita indicação para quem está à procura de um som que vai muito além das fronteiras de qualquer gênero. A primeira faixa, ‘The storm’, é um bom exemplo sobre o que podemos esperar do álbum: intenso uso de teclados, variações rítmicas e vocais, linhas de baixos e riffs de guitarras bem construídos, peso e velocidade, mas sem perder o preciso foco na melodia. Ao longo do disco, é possível perceber oscilações em passagens mais melódicas e extremas. A ‘A Gate To The Unknown’ seria uma boa pedida para quem prefere mais peso e velocidade. Já a ‘The Storm’ coloca mais ênfase na melodia e em técnicas harmônicas. Definir um único gênero para ATSPHEAR em ‘Redshift’ é uma tarefa difícil. Sob as influências dos clássicos dos anos 70 e 80, a sua sonoridade também incrementa elementos de estilos mais modernos, como o Progressive Metal, Metalcore e o Melodic Death Metal. Em suas nove faixas, caracterizadas como composições bem elaboradas, explorando perfeitamente o seu conteúdo lírico e instrumental, fica mais do que evidente a meta de quebrar estereótipos e firmar o seu nome no cenário mundial.

Por Gisela Cardoso (gisagrind@gmail.com)

Faixas:

 01 – Quantum
02 – The Storm
03 – Centuries
04 – Unknown Monsters
05 – Empire
06 – A Gate to the Unknown
07 – Sand
08 – The Builder of the Stage
09 – My Grave

Mais informações:


Adicionar aos favoritos o permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.